Image Image Image 01 Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to Top

To Top

Blog

Refletindo uma nova forma de sentido para livros infantis

Atualmente encontramos livros infantis que não são to infantis assim. Pois os conteúdo e forma gerados para um público adulto são posteriormente adaptados para crianças. Ao longo do tempo, tanto o conteúdo quanto a forma do livro infantil ilustrado sofreram adaptações graduais para o público infantil ao ponto de hoje ser um produto de fácil identificação como gênero específico.

Acredito que o mundo da narrativa e da literatura são um mundo de ficção, do imaginário e da fábula pois através desses estudos sobre a leitura infantil acredito que é preciso propor uma nova forma de interrogar a realidade, tomando como base temas do domínio da cultura em relação ao papel das representações assim como CHARTIER escreverá em seus ensaios.

Os primeiros impressos para crianças não tinham intenção amena. Eram cartilhas: hornbooks, batledores ou catones. Páginas coladas a um suporte, que podiam servir também de palmatória. Começam a ser usadas em 1440 e continuam a aparecer até 1850. Além do ABC incluíam orações, ensinamentos morais ou políticos.

O livro infantil didático nasceu como instrumento para formação da criança, baseado no novo conceito de infância, formado a partir dos ideais iluministas. Acriança medieval que, por volta dos sete anos, já iniciava uma vida de trabalho longe de sua família, gradativamente, passa a freqüentar a escola e a viver sob aproteção dos adultos.

Pois refletindo o contexto, os livros infantis didático na antiguidade vieram para formar cultamente as crianças, algo que nos dias atuais a narrativa esta precária e desinteressante para as mesmas, acredito que é preciso uma forma de ater a atenção delas onde elas possam fluir o pensamento já na infância e ter no livro seu objeto de brinquedo.

No entanto deve ser entendido como o estudo dos processos e formas com os quais seriam construído um sentido, uma vez que essas representações podem ser pensado como figuras graças ao espaço decifrado que gera sentido as interpretações das crianças.

Enviar Comentários